Herói

flash-grant-gustin

Flash

“O Homem mais Rápido do Mundo!”

A DC têm a tradição do legado então é normal notarmos que ao longo das décadas vários personagens usaram o mesmo nome de determinado herói ou heroína.

O Flash é um deles, pois Jay Garrick foi o primeiro velocista do mundo a usar o codinome heroico, mas aqui no Brasil esse personagem foi chamado de Joel Ciclone (eu não sei por qual motivo).

Jay, surgiu durante a Era de Ouro, na edição Flash Comics # 1 ( 1940) criado pelo roteirista Gardner Fox e pelo artista Harry Lampert.

Garrick foi um universitário que obteve seus poderes depois de um acidente quando inalou agua pesada e após acordar “notou” que podia correr numa espantosa velocidade (pouco tempo depois tornou-se um dos membros fundadores da emblemática Sociedade da Justiça).

O herói velocista têm toda sua aparência influenciada pelo deus mitológico Hermes, o mensageiro dos deuses.  Usando um capacete alado e têm asas nas botas lembrando o referido deus.

Durante o que foi mencionado como Era de Prata Jay Garrick encontrou sua versão renovada Barry Allen (na clássica edição Flash de Dois Mundos, em 1961). Sendo estabelecido então que a Sociedade da Justiça e Jay moravam na Terra-2 (enquanto a Liga da Justiça e Barry ficavam na Terra-1).

Um engano indesculpável, pois a SJA surgiu antes da LJA tornando esta história muito estranha.

Barry Allen é o segundo Flash surgido na edição Showcase # 4, em 1956, novamente pelas mãos de Gardner Fox e também do excelente artista Carmine Infantino (um dos melhores artistas do herói).

As pessoas comentam que o Flash 2 inaugurou a Era de Prata, mas essa afirmação é um ledo engano. Na verdade quem surgiu primeiro foi o Caçador de Marte, em 1955 e por consequência um ano antes do velocista escarlate.

A Era de Prata marca o reaparecimento dos heróis do período anterior com uma nova roupagem mais científica e como consequência o surgimento da Liga da Justiça.

Na história, Barry Allen é um cientista da polícia que foi atingido por um raio enquanto trabalhava em seu laboratório. A combinação entre a eletricidade e os produtos químicos que caíram sobre ele deram-lhe poderes de supervelocidade.

Barry possui uma aura que protege seu corpo do atrito com o ar e um controle sobre suas moléculas que lhe permite vibrar através das paredes. Como gostava de ler quadrinhos adotou o nome do seu herói  favorito que lia suas aventuras quando criança.

Com as aventuras do Flash e Joel Ciclone atuando juntos agregou o surgimento do Multiverso que deu início há momentos gloriosos pros fãs, mas posteriormente mostrou ser um problema dos grandes.

Então em meados da década de 80 veio a catastrófica Crise nas Infinitas Terras que teve a intenção de acabar com a bagunça que havia se tornado a continuidade da DC Comics (foi um sucesso inimaginável e ao longo dos anos a editora resolveu criar outras crises, blarg!).

Nas aventuras clássicas Barry é casado com Íris West seu par romântico mais importante.

Mudando de assunto, na web já está rolando algumas imagens e divulgação do seriado com o ator Grant Gustin. A premissa segue o assassinato de sua mãe, o raio que cai no laboratório e a decisão de usar os poderes para vingar a morte dela (algo que lembra um pouco a minissérie Ponto de Ingnição), mas eu quero ver como irão tratar um personagem tão icônico.

Tem tudo para virar um sucesso absoluto devido a popularidade que o herói alcançou principalmente se conseguir abordar os temas que o roteirista Mark Waid implantou na década de 90 com Wally.

Lembrando que Smallville começou capenga, mas com o acréscimo de temporadas incluíram diversos personagens da mitologia de Kal-El e agora com a série do Arqueiro Verde podemos notar que o formato se consolidou.

Lembrando que houve alguns atores que já usaram o uniforme do Flash antes.

O Velocista Escarlate foi interpretado pela primeira vez pelo ator Rod Haase. No infame especial feito pela Hanna-Barbera intitulado como Legends of Superheroes, de 1979.

Depois de alguns anos não teve sorte novamente, pois foi interpretado pelo ator Kenny Johnston. Naquele péssimo piloto pra série televisiva da Liga feito em 1997.

Bom, vale a pena lembrar do nostálgico seriado que havia sido feito com John Wesley Shipp que usava o nome Barry Allen num visual mais parecido com Wally.

É claro que a origem dos poderes ficou naquela versão clássica, mas a princípio Barry queria se livrar deles.  Só que devido a morte de seu irmão Jay e as constantes brigas com seu pai. Deixaram Barry num misto de raiva e remorso querendo se vingar a qualquer custo da gangue de Pike.

E graças a ajuda da Dra. Tina McGee (Amanda Pays) conseguiu aprender a usar seus poderes transformando-se no defensor de Central City.

Havia um conjunto de fatores que tornava a série muito boa como seu  estilo bem parecido com a franquia de Batman (na fase do Tim Burton).

Ainda mais que a trilha sonora era composta por Danny Elfman deixando-nos numa ambientação muito sombria e também misteriosa. Eu adorava a visão do Flash correndo pelas ruas, pois pela posição da câmera nós éramos os olhos do herói.

É claro que estes efeitos especiais já estão datados e ultrapassados, porém pra mim era o máximo. Lembro que as pessoas criticavam o uniforme bombado todo acolchoado que explicaram ser uma roupa de mergulho soviética (o famoso peito de pombo).

Mais a presença de Mark Hammil como o vilão Trapaceiro e o roteiro que não era infantilizado deram uma relativa popularidade naquela época pro seriado. Atualmente creio que poderão explorar melhor tanto os poderes do Velocista Escarlate quanto roteiros mais dinâmicos e até intimistas vamos ver no que vai dar.

Só falta saber se irão levar o herói pra telona ou ficaremos apenas nos boatos e aí DC Comics até quando iremos esperar?

Barry Allen é o meu Flash preferido e eu fiquei chocado quando o herói morreu sozinho tentando salvar o universo durante a Crise, mas duas décadas depois todo seu esforço foi jogado no lixo quando o trouxeram de volta.

Pra mim Wally já havia sofrido bastante para tentar superar a imagem tão forte que havia de Barry na comunidade heroica e quando estava estável ganhando assim milhares de fãs veio o reboot do Flash 2.

Wally West quando ainda era um moleque fez uma visita ao laboratório de seu tio Barry. Então um acidente idêntico ao de Barry ocorreu  lhe dando superpoderes de velocidade. Wally decidiu usar uma variação do uniforme e assumiu o codinome de Kid Flash. Participando de diversas aventuras inicialmente ao lado Turma Titã que virou os Novos Titãs.

Wally assumiu pesaroso o manto do seu tio quando ele morreu na Crise teve até um bloqueio mental que causou a diminuição de sua velocidade, mas conseguiu superar com apoio psicológico.

Durante a fase memorável do escritor Mark Waid conseguimos notar a relevância de Wally pro UDC. O autor nos deu a “força de aceleração”, que é fonte do poder de todos os velocistas, criou Impulso (um herói sem paciência) e Max Mercúrio (o guru dos velocistas).

E elevou os poderes de Wally a níveis que ninguém nunca iria pensar antes como poder viajar no tempo, explodir matéria, estrondos sônicos entre outras coisas.

A popularidade de Wally o levou pra revista da Liga da Justiça na década de 90. Foi neste período que começou sua implicância com o Lanterna Verde (Kyle Rayner), mas depois tornaram-se amigos.

Wally também participa do desenho da Liga na qual é mostrado como um grande paquerador com personalidade impulsiva e muito engraçadinho. Primeiro ficou interessado na heroína Fogo, depois  a repórter Linda Park deixa o telefone dela com ele, botou chifre em Luthor com a maga Tala e por último a Giganta que tascou-lhe um beijo (cara sortudo!).

Em Justiça Jovem voltou pra sua condição de Kid Flash sendo mostrado como um competitivo caçador de emoções e bastante inteligente quando trata-se de ciência.

Só pra fechar, o Flash teve uma série animada que foi pra telinha produzida pela Filmation, em 1967. Fazia parte do segmento Superman/Aquaman Hour Adventure e o velocista escarlate era conhecido por aqui como Relâmpago.

Como nos gibis, Barry era um cientista forense que abrindo um compartimento secreto em seu anel agia como The Flash. Em suas aventuras tinha o Kid Relâmpago (Wally) que não sei por qual motivo apresentava um cabelo preto.

Confira na galeria abaixo algumas imagens do Flash que encontrei na web

flash1

0 1.1 1 2.1 showcase-4

3

4 5 7 8 9 10 11 12 13 14 16 17 18 19 20 21 22 23 24 26 27 29 30 alex ross 0 alex ross 1 alex ross 2 artgerm darwyn-cooke dave johnson doc shaner flash_carmine_infantino flashes_anderson flash-josé luiz garcia-lópez 0 jose luiz garcia-lopéz 1 josé luíz garcia-lopez 2 josé luiz garcia-lópez 3 kit_kit_kit marvel-dc-race superman vs flash the-flash-series-grant-gustin wallpaper 0 wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper 3

Wallpaper-the-flash-TV-Series

wallpaper 4 wallpaper 5 wallpaper 6 wallpaper 7 wallpaper 8 wallpaper 9 wallpaper 11 wallpaper 12 wallpaper 13 wallpaper 14 wallpaper 15 wallpaper 16 wallpaper 17 wallpaper 18 wallpaper-barry-kitson wallpaper-jose luiz garcia-lopéz

2 Evezhiadenn

Filed under Herói

2 responses to “Herói

Lezel ur respont

Fill in your details below or click an icon to log in:

Logo WordPress.com

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont WordPress.com Log Out /  Kemmañ )

Google photo

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Google Log Out /  Kemmañ )

Skeudenn Twitter

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Twitter Log Out /  Kemmañ )

Luc'hskeudenn Facebook

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Facebook Log Out /  Kemmañ )

War gevreañ ouzh %s