Liga da Justiça: Crise em Duas Terras

sindicato-do-crime

Liga da Justiça: Terra-2

Antes de comentar sobre o DVD é melhor conhecer a revista, no entanto quero lembrar que os personagens mostrados nela surgiram há bastante tempo atrás.

A Terra-3 foi introduzida no UDC por Gardner Fox e Mike Sekowisky numa edição da Liga da Justiça, em 1964. Mostrando esta terra como se fosse um espelho da Terra-1, aonde tudo acontece ao contrário.

Na Terra-3, Lex era o único herói lutando contra o Sindicato do Crime da América, uma versão maligna da Liga. Neste grupo temos: Ultraman, Coruja, Supermulher, Anel Energético e Johnny Quick.

Depois se tornaram vilões que sempre combatiam nossos heróis e ao longo das décadas já tiveram diversas versões. Nesta Terra Paralela Alexander Luthor era casado com Miriam Lane, a repórter era chamada assim por aqui até meados da década de 80.

No período que ficou conhecido como Pré-Crise  e somente quando aconteceu a reformulação de John Byrne em Super-Homem, n° 38, tivemos seu nome trocado para Lois Lane como no original (algum tempo depois ainda havia quem a chamava de Miriam de tão acostumados a ler daquela forma).

Bom, durante a Crise nas Infinitas Terras Alexander Luthor e Miriam Lane tiveram um filho, que também ficou conhecido como Alexander Luthor. Os vilões tentam deter a onda de anti-matéria num sacrifício descomunal, mas não tem jeito.

Já que de forma inclemente ela destrói a Terra-3, no entanto antes da explosão a criança viaja através das dimensões (numa premissa igual a do Super-Homem).

Alexander Luthor, devido a viagem ficou com um corpo composto por matéria e anti-matéria tornando-se um personagem chave pra que o universo fosse salvo ( e acredite se quiser pela intervenção do vilão Darkseid).

Na minissérie Crise Infinita, que foi uma homenagem revisitando a saga dos anos 1980, Alexander Luthor estava vivendo num local paradisíaco, mas como nenhum Luthor gosta do Superman. Ele influenciou tanto o Superman original quanto o Superboy Primordial para quebrar a barreira da realidade e fugir da clausura para procurar e criar a terra perfeita.

Superboy esmurrando a realidade foi uma das cenas mais esdrúxulas e comentadas dos quadrinhos. A HQ define a morte trágica de Lois Lane e Superman da Terra-2 (os personagens originais de 1938).

A famosa história foi publicada por aqui na edição Superman n° 1, em 2000 (no formato americano Super-Heróis Premium).

A primeira aventura, “A Gente Voltou”, tinha roteiro de Jeph Loeb e a arte terrível de Mike McKone. Mongul convoca Superman para lutar contra Imperiex só que era um ardil do vilão para derrotar, o kriptoniano.

No final das contas Imperiex era apenas uma sonda de um ser maior. Demonstrando algo muito parecido com a atuação de Galactus no Universo Marvel.

Liga da Justiça: Terra-2 tem roteiro de Grant Morrison e arte de Frank Quitely. O artista é um dos poucos que detém um estilo muito peculiar, pois os heróis tem uma aparência imponente (lembrando um anime com todo detalhe de ambientação de luz e sombras).

A história começa com uma nave singrando o espaço, caindo num milharal e um casal indo ver o que há dentro dela (pra quem disse que é uma cópia da origem de Kal-El está certo).

O casal atônito encontra Lex Luthor que deseja saber aonde estão os heróis. E na cena seguinte somos apresentados a LJA daquela época que estava fazendo muito sucesso. A Liga agia num salvamento de avião, porém o detalhe é que todos sem exceção estavam mortos.

E temos algumas citações a Arquivo X, Benedict Arnold e até mesmo a secretária de Lex chama-se Srta. Techsmacher (citando a atriz Valerie Perrine que atuou em Superman, de 1978).

Pra mostrar que os vilões são bastante diferentes vemos Ultraman como um tirano controlador que não hesita em matar quem se opõe as suas vontades, Relâmpago, um viciado numa droga que lhe confere supervelocidade.

Supermulher uma sádica que mantém um caso com Jimmy Olsen, num estilo sexual tipo dominadora e escravo. Só que ela também tem outro caso mais quente com o Coruja (a versão cruel, minuciosa e inteligente do morcegão). E somente o Anel Energético é um idiota completo, num tipo de bandido pé de chinelo que conseguiu o anel por acaso.

Por um ardil intelectual do Coruja enquanto a Liga está na Terra do Sindicato, os vilões viajam pra nossa realidade causando caos, confusão e muita destruição.

Depois descobrimos que tudo não passou de um plano elaborado por Brainiac que tornou-se um capacho nas mãos do Ultraman e sua intenção era se livrar do seu algoz para poder evoluir e destruir ambas as terras.

A solução foi bastante perspicaz, pois a LJA deveria desistir de fazer o bem já que suas intenções estavam fadas ao fracasso só venceriam se desistissem de ajudar.

Liga da Justiça: Terra 2 é uma história inteligente que te prende pelo aspecto que nem sempre o bem consegue triunfar e por mais que lutemos devemos saber quando é o momento de parar.

sindicato do crime

Liga da Justiça: Crise em Duas Terras

É uma adaptação da HQ que comentei acima, mas a diferença pro desenho da Liga está no design que não segue nem a arte de Bruce Timm e nem de Frank Quitely (adotando características do estilo anime).

E principalmente no roteiro que definiu melhor as personalidades dos heróis e houve até uma dimensão maior quanto a atuação do Sindicato, pois na HQ eles dominavam apenas aquela Terra enquanto no DVD a intenção é a aniquilação total do Multiverso.

A aventura já começa com Lex Luthor e o Comediante (versão do Coringa) invadindo a sede do Sindicato do Crime atrás do Gatilho Quântico. O Comediante se sacrifica para Luthor poder fugir, porém quando ele sai num beco é confrontado pelo Sindicato e escapa vindo pra nossa dimensão.

O satélite da Liga está em construção e Batman testa o tele transporte usando o Flash como cobaia (a cena me lembrou a série clássica Star Trek). A Liga busca Luthor numa delegacia e então o careca explica como as coisas funcionam em sua realidade.

A Liga discutindo qual o seu papel como heróis é delirante, pois Hal diz algo do tipo aonde vai a jurisdição deles? Uma linguagem policial do tipo até onde poderão atuar?

São nuances do roteiro que são interessantes por terem abordado a necessidade deles serem heróis não só do nosso mundo, mas de outras realidades também (é fogo!)

Enquanto os heróis estiverem naquela realidade do Sindicato o mal prevalecerá enquanto o bem está fadado a ser ruim. O que despertou minha atenção é que o Sindicato funciona tipo a máfia controlando o mundo inteiro e seus subordinados são chamados de empresários. Sendo organizado por diversos subgrupos comandados pelos vilões principais.

Então assim que a Liga chega no QG do Luthor encontram os capangas do Sindicato e a luta começa contra versões malignas do Raio Negro, Katana, Homem-Borracha, Cigana, Halo entre outros.

As cenas de luta são bastante violentas e rápidas, mas se tornaram melhores quando surgiram as versões do Capitão Marvel, Capitão Marvel Jr. e Tio Dudley que conseguiam manipular raios. Temos aqui uma nova origem pro Avião Invisível da Mulher Maravilha, que era do Coruja surgindo como espólio de guerra.

Um dos maiores inimigos da Liga o Exterminador, nesta realidade tornou-se presidente. Rosie Wilson, sua filha é relutante em aceitar o domínio do Sindicato e isto causa conflitos entre eles.  A única coisa que não consegui aceitar foi o Caçador de Marte ter deixado Rosie sua cara metade e ter voltado pra nossa Terra (eu correria atrás da minha felicidade).

A trama é bastante complexa demonstrando a dualidade nos pensamentos dos heróis e diferenças quanto as suas contrapartes. O Ultraman é muito ruim, mas o Coruja além de inteligente é pior ainda. Uma versão distorcida do Batman, totalmente lunático de pedra, que deseja destruir todo Multiverso apenas porque pode.

E a insana da Supermulher o segue piamente sem pensar em nada (loucura, loucura, loucura!).

A melhor parte desta história é ver as cenas de batalha que estão ótimas já que a pancadaria rola solta demonstrando uma grande selvageria. Eu destaco a luta da Liga contra o Sindicato com Superman x Ultraman, Mulher Maravilha vs Supermulher, Flash vs Johnny Quick, Lanterna Verde vs Anel Energético e a melhor de todas Batman vs Coruja (uma luta brutal psicológica e também ideológica).

Liga da Justiça: Crise em Duas Terras tem um roteiro envolvente no qual é mostrado as convicções dos heróis e de como suas versões distorcidas seriam um prejuízo enorme em nossa realidade. É diversão de qualidade garantida pra quem curte uma boa aventura.

Ober un evezhiadenn

Filed under Liga da Justiça: Crise em Duas Terras

Lezel ur respont

Fill in your details below or click an icon to log in:

Logo WordPress.com

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont WordPress.com Log Out /  Kemmañ )

Google photo

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Google Log Out /  Kemmañ )

Skeudenn Twitter

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Twitter Log Out /  Kemmañ )

Luc'hskeudenn Facebook

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Facebook Log Out /  Kemmañ )

War gevreañ ouzh %s