Category Archives: O Julgamento de Reed Richards e Galactus!

O Julgamento de Reed Richards e Galactus!

1

Publicada em Marvel Saga n° 2, esta edição tinha a grande quantidade de 160 páginas e foi lançada para comemorar o aniversário de 30 anos do Quarteto Fantástico, em 1991.

Galactus é um dos personagens mais extraordinários criado pela Casa de Ideias. E para se alimentar usa energias que dizimam um planeta inteiro (não é a toa que o chamam de O Devorador de Mundos).

A história começa com a bela Juliette D’ Angelo recebendo uma inesperada visita, Johnny chega no seu apartamento totalmente abatido. Só pra constar, Julie é amiga de Frankie Raye (Tocha Humana III), que nesta época estava namorando o Tocha.

Voltando, assim que teve um tempo, Julie telefona pra Reed e Sue. Devido ao estado de Johnny, Reed conta o que aconteceu e nossa aventura começa.

Lembrando que nesta época John Byrne era o artista responsável pelo gibi do Quarteto e sua arte estava no auge. Nesta edição, Byrne trabalha tanto com a arte quanto o roteiro.

Seu estilo amplo, complexo é muito rico nos detalhes de todos os ambientes aonde a trama se desenrola. É por causa disto que John Byrne é um dos meus artistas favoritos  (acho que já comentei isso em algum lugar!).

A equipe é convocada por Terrax, um dos arautos de Galactus pra derrotar e destruir seu mestre que estava enfraquecido (“quase” sem poder algum).

Manhattan havia sido retirada do lugar por Terrax, mas seus habitantes não sabiam de tal acontecimento. Devido a força de Sue Storm que estava mantendo visível o efeito dos poderes do arauto. Para a população tudo não passava de um simples apagão.

Enquanto isso, Ben, Reed e Johnny invadem a nave colossal do Devorador de Mundos. Pra você ter noção, Terrax é tão insolente que tenta enfrentar, Galactus que mesmo sem estar no ápice de seu poder. Retira a energia que havia dado pro seu arauto (que cais vertiginosamente até o chão).

Após isso, Galactus se prepara pra devorar nosso planeta, mas foi impedido pela chegada dos heróis Thor e Homem de Ferro. E do Dr. Estranho que faz um encantamento que deixa, Galactus assustado e pra finalizar o Sr. Fantástico ataca junto com o Coisa finalmente derrubando o gigante (é uma cena magnífica).

galactus

A decisão que Reed toma depois é que me deixou impressionado, pois salvou a vida de Galactus criando um aparelho pra restaurar suas energias. Usando Mjolnir para conseguir tal objetivo algo que quase acabou com a vida do Filho de Odin.

Uma coisa interessante pra se notar nesta história é que o sobrinho da Tia Petúnia está com uma aparência bem diferente. Sua pele se assemelha a lava derretida como nas histórias inicias da equipe, nos anos 60 (e não como a forma rochosa que normalmente vemos).

Assim que Galactus se recupera pergunta pro Reed porque osalvou. Ele diz com seu jeito altruísta que não deixaria de ajudar um ser vivo. Chamando o gigante para acompanha-lo até o Edifício Baxter e lá procura outros mundos para que ele possa devorar.

Galactus comenta que está fraco e ainda se encontra no dilema de destruir nosso mundo para se alimentar. Então Frankie Raye se oferece para ser o novo arauto de Galactus para que poupe nosso mundo (assim como fez o Surfista Prateado).

Sendo que o gigante prontamente aceita, porém Reed e Johnny se opõe. Só que Frankie está decidida e começa a voar nessa condição. O Tocha Humana tenta desesperadamente acompanha-la, mas seus poderes falham (quando não mais oxigênio para lhe ajudar no espaço). Galactus parte chamando Reed de amigo.

Na parte 2, temos “Fragmentos”, Galactus está se indagando porque ficou tão reflexivo para continuar o que sempre fez. Enquanto estava remoendo sua consciência a Morte visita o gigante que lhe mostra qual é o seu verdadeiro papel.

Nova (Frankie Raye) encontra o planeta Skrull para seu mestre se alimentar. Ela enfrenta a poderosa frota espacial dos transmorfos que foram facilmente aniquilados por seu imenso poder.

Galactus destrói de forma esplendorosa e assustadora o planeta Skrull. As energias envoltas no processo cataclísmico é que alimentam o gigante.

Na parte 3, temos o “Interlúdio”, Victor Von Doom contempla seu povo na Latvéria, mas logo depois volta sua atenção pro pequeno Kristoff. O tirano trata o menino como se fosse seu próprio filho. Só que o menino de forma inocente disse que o poder do Magneto é páreo até pro Dr. Destino (fato que faz o vilão ter um ataque de faniquito escorraçando a criança de sua frente).

Depois os robôs do Victor vão até um hospital e resgatam um paciente todo enfaixado. Logo descobrimos que se trata de Tyros, o Terrível (ex-arauto de Galactus que era conhecido por Terrax).

Von Doom faz um acordo com Tyros pra restaurar sua energia cósmica e em troca ele destruirá o QF. O processo obtido numa máquina é feito com êxito, porém Tyros não sabe que lhe resta apenas dez horas de vida. Após isso seu corpo será destruído e Destino sabe disso.

O primeiro a ser atacado em Nova York é Bem Grimm numa batalha colossal contra Tyros. A segunda é Sue que estava sendo mantida cativa pelo Victor (seu desejo era poupa-la pra poder torna-la sua amante, muito espertinho!).

Destino impõe a Sue um dilema lutar contra ele e continuar viva ou enfrentar Tyros e  possivelmente morrer (ela escolhe a segunda opção). Então Johnny, Sue e Ben tentam deter Tyros, mas seu poder é enorme.

Destino luta contra Tyros e revela sua intenção, mas o ex-arauto frita sua armadura deixando-o inerte (vimos a mesma coisa acontecer no filme da equipe, em 2005).

Até que o Surfista Prateado chega e iguala a balança causando uma grandíssima destruição.

A parte boa desta edição é que o roteiro te envolve de uma forma tão prazerosa que fica impossível parar de ler. E nossa viagem por sua páginas cheias de ação tornam nossa aventura muito envolvente.

Nova_(by_John_Byrne)

Voltando, a energia cósmica detona o corpo de Tyros transformando-o numa bola de fogo incandescente que se pulveriza. Após a batalha o Surfista estava exausto e Sue o leva pra se recuperar no Edifício Baxter.

Depois Sue e Norrin Radd vão até a Mansão dos Vingadores mas a Feiticeira Escarlate disse que Reed havia desaparecido  de repente  (foi levado pro espaço).

Sue convoca uma reunião com o restante do grupo e decide ir procurar pelo seu marido. Quando eles estão na aeronave vemos na lembrança do Coisa como o QF ganhou seus poderes (numa cena que demonstra a HQ original).

A missão era ir pra lua pedir ajuda ao Vigia que os transportou por uma distância impossível pelo espaço sideral (passando por milhares de naves extraterrestres).

Eles encontram, Reed quase sendo morto e o resto da equipe o solta, porém há um princípio de tumulto. Até que o Vigia intervém.

Vemos um tipo de tribunal acusando Reed de destruir o planeta Skrull. O Senhor Fantástico se defende, pois sua compaixão não deixou que a vida de Galactus se perdesse. O tribunal estava querendo ficar a seu favor, mas Lilandra, Imperatriz de Shiar foi contra e decretou a morte do herói.

Algum tempo depois de ter salvado o gigante, Lilandra apareceu dando um ultimato a Reed, porque se Galactus destruísse outro mundo (a culpa seria totalmente dele).

Na conclusão o gibi dá uma virada sensacional e temos a presença do próprio John Byrne que está atrasado com a editora, porque ainda não terminou a edição. Ele liga pro Edifício Baxter e quem atende ao telefone é a Roberta (aquela secretária robô).

Então de repente, o Vigia aparece abduzindo o artista e levando-o até ao Julgamento de Reed Richarads! Ao chegar, Byrne conversa com Sue, Johnny e Ben  como se o QF existisse no “mundo real” (ou como se Byrne existisse no mundo dos quadrinhos, sei lá!).

Durante o julgamento um Skrull sobrevivente relata como o planeta foi dizimado culpando, Reed pelo fatídico acontecimento. Depois  diversos alienígenas contam a mesma história de morte  e destruição.

Apesar de Uatu ter seu voto de não interferência age como advogado de defesa. Reed confessa ser culpado, no entanto pela lógica diz Galactus não é bom e nem mau. Apenas segue seu papel numa ordem maior do universo.

Eu fiquei analisando isso pelo ponto de vista do Reed. E pensei nas tragédias que se abatem sobre nós seres humanos e cheguei a conclusão que é algo muito, muito, muito complicado pra se aceitar (só que é isso que ele quis dizer).

Voltando, Uatu convoca Odin, pai do Deus do Trovão pra testemunhar. Ele conta a origem de Galactus, Galan era um cientista do planeta TAA que fez a triste descoberta que seu universo estava morrendo.

Todo seu povo partiu pro centro do universo, mas somente Galan sobreviveu e foi transformado graças a ajuda de um Vigia e também da Consciência Universal. O nosso Big Bang forjou o ser que após alguns milhares de anos tornou-se Galactus.

Odin também conta que Reed não tem culpa pelas ações do gigante, mas Lilandra não se dá por satisfeita. Até que Nova surge e com ela temos o Devorador de Mundos.

A presença de Galactus causa pânico na multidão, no entanto ele fala defendendo a nobreza dos atos do herói. Só pra piora, Lilandra rejeita as palavras do gigante. Então, Uatu e Galactus convocam Eternidade, ele é a entidade cósmica que soma “todas”as coisas do universo. Como se fosse uma personificação viva de tudo que existe (é magnífico!).

Eternidade faz com que todas as mentes se tornem apenas uma revelando-lhes a verdade cósmica e um futuro incontestável. Na última página, John conta por telefone sua viagem interplanetária, porém Uatu o adverte para escrever sobre tudo que presenciou.

Byrne questiona se Galactus continuará sempre destruindo vários mundos e Uatu revela que chegará um dia em que o Devorador irá ser derrotado e o universo irá chorar sua morte.

Quando cheguei no final tive a nítida impressão que Galactus é tipo uma força da natureza está muito além de nossa capacidade de tentar descrevê-lo. E só por isso esta HQ é estupenda tornando-se obrigatória pra qualquer um fã de quadrinhos aprecia-la.

Advertisements

Ober un evezhiadenn

Filed under O Julgamento de Reed Richards e Galactus!