Tag Archives: Natalie Portman

As Melhores Adaptações de HQ – Parte 4

Thor_2

Nesta lista infelizmente há dois filmes que não caíram totalmente no gosto de alguns críticos, mas eu não estou nem aí pra isso.

Sem mais firula conheça meus comentários sobre estes filmes.

Thor 2: O Mundo Sombrio – 2013

No primeiro filme, Thor (Chris Hemsworth) foi iludido por Loki (Tom Hiddleston) começando uma guerra contra os Gigantes de Gelo, de Jotunheim. Por causa de seu ato arrogante foi banido de Asgard por Odin (Anthony Hopkins) e também perdendo seus incríveis poderes.

Aqui em Midgard teve que aprender uma lição de humildade para ser digno de reaver o que era seu por direito. O primeiro longa teve cenas belíssimas de Asgard  e uma comparação dos Três Guerreiros a Xena, Robin Hood e Jackie Chan (deixando aquela imensa vontade de quero ver mais).

Nos trazendo ao Mundo Sombrio que explora melhor a mitologia do herói mostrando os Nove Mundos e também um dos seus piores arqui-inimigos, Malekith (Christopher Eccleston).

Na excelente série animada dos Vingadores temos o episódio “O Cofre dos Invernos Antigos” aonde a equipe precisa enfrentar Malekith.

Voltando, Malekith deseja vingança pela derrota sofrida no passado por Odin e quer destruir todo universo usando o Éter, um tipo de trevas eternas.  Outro aspecto importante da trama é o relacionamento entre Jane Foster (Natalie Portman) e o Deus do Trovão que torna-se mais conflituoso, principalmente, porque, Odin não aprova essa união.

Como se só isso não fosse suficiente, Jane foi contaminada pelo Éter e o herói também precisa enfrentar, Kurse (Adewale Akinnuoye-Agbaje, outro inimigo retirado dos gibis).

Então, Thor é obrigado a tomar a difícil decisão de aliar a Loki para salvar sua amada e todos os Nove Reinos. Porém ele sempre contará com a ajuda da bela Lady Sif e dos Três Guerreiros pra todas as batalhas que enfrentar.

Thor: O Mundo Sombrio contém cenários maravilhosos de Asgard, cenas de batalha empolgantes e até uma homenagem a Journey Into Mistery # 83 (gibi com a primeira aparição do Trovejante). Já que o herói enfrenta um enorme ser de pedra como nesta referida edição.

Apesar de ser um filme denso, pesado, conflitante ainda sobrou tempo para inserir algumas cenas engraçadas. Numa ótima atuação de Stellan Skarsgård que interpreta o Dr. Erik Selvig. Mais também temos o destaque de Tom Hiddleston (Loki) que como sempre rouba a cena transformando-se naquele vilão que todos nós adoramos odiar.

Na famosa cena pós-créditos temos Sif e Volstagg visitando O Colecionador (o diretor Benicio del Toro) deixando o Éter em seus poder. Ele afirma que o Tessaract já está em Asgard e duas Joias do Infinito estando tão próximas torna-se muito perigoso.

As joias são seis pedras que contém poderes incomensuráveis e Thanos utiliza-as numa manopla para poder controlar o universo. Nos quadrinhos tivemos algumas batalhas incríveis usando todo o panteão da Marvel para deter o deus que venera a morte.

Acho que a Marvel irá ousar e também causar alvoroço nos fãs de gibis trazendo isso para a telona vai ser demais (basta apenas esperar pra assistirmos).

E só pra fechar essa cena também nos conecta ao engraçadíssimo Guardiões da Galáxia que comentarei mais pra frente.

Spider-man_vs_electro

O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça do Electro – 2014

Uma continuação sempre carrega o peso de precisar ser melhor que o filme anterior. E pra mim O Espetacular Homem-Aranha 2 consegue provar isso muito bem.

O Cabeça de Teia é um dos heróis mais queridos de todos no mundo. Sejam pessoas que não acompanham gibis que são a grande maioria. Pois conhecem apenas os desenhos animados da telinha que de tempos em tempos sempre há uma nova versão.

Ou aqueles como nós fiéis leitores que possuem cada um á sua maneira uma fase preferida do Escalador de Paredes (a minha é esta aqui).

Tacaram pedra no Andrew Garfield quando a culpa não foi somente dele, pois sinceramente, eu vi seus problemas, dramas pessoais e conflitos que nos conectam diretamente com o PP que há nos quadrinhos na telona.

Vemos que Peter sente-se culpado por não conseguir manter a promessa de se afastar de Gwen Stacy (Emma Strone) sofrendo amargamente por essa decisão. Os problemas começam quando, Max Dillon (Jamie Foxx), um cara muito solitário demonstra uma enorme obsessão pelo Teioso (após ser salvo pelo herói).

Lembrando que na série animada de 2003, Cristina demonstrou a mesma afeição doentia pelo herói.

Infelizmente no filme o Amigão da Vizinhança enfrenta três inimigos Electro, Harry Osborn (Dane Haan) que devido a uma alteração genética torna-se o Duende Verde e o Rino (Paul Giammatti), numa armadura igual a versão Ultimate, mas aparece pouquíssimo.

O grande problema desta adaptação é que tentou tornar-se épica. Mexendo com a memória afetiva dos fãs contando a Morte de Gwen Stacy, mas fora isso as cenas de ação estão excelentes.

Fiquei realmente puto e não deu pra aceitar aquela teia parecendo uma mão pra salvar, Gwen quando estava caindo. Sua perda é um aspecto muito marcante pra mim em minha vida como fã do herói. E devido ao fracasso teremos outro ator interpretando PP/Homem-Aranha na telona.

A franquia de Sam Raimi mesmo tendo escorregado no terceiro filme. Ainda continua marcante pra vários de nós, principalmente, pela presença do impagável J. Jonah Jameson e vai ser preciso mostrar algo que continue a nos surpreender pra virar um sucesso.

Só pra fechar mesmo tendo detestado ver, Gwen morrer novamente. Confesso que adorei a cena do garotinho sair do meio da multidão enfrentado o Rino (foi sensacional).

Scott_Pilgrim_vs._the_World

Scott Pilgrim contra o Mundo – 2010

O filme foi baseado no gibi do artista Bryan Lee O’Malley.  Seu estilo de arte é obviamente influenciado pelo mangá.

Estamos em Toronto, no Canadá e Scott Pilgrim (Michael Cera) mora num apartamento com Wallace, seu amigo homossexual. Scott está se remoendo no fundo do poço e desiludido com sua vida amorosa. Desde que Envy Adams terminou com ele pra fazer sua carreira decolar.

Scott é integrante da banda “Sex Bob-omb” e de repente começou a namorar Knives Chau (Ellen Wong), uma linda colegial, porém seus amigos são contra esse relacionamento.

A situação começa a mudar quando surge em sua vida a misteriosa Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winsted) e Scott acaba se apaixonando perdidamente por ela.

Confesso que fiquei muito entusiasmado com Ramona, pois além de ser cativante. Ela até viaja através de buracos de minhoca como se fosse algo simplesmente normal.  Nos quadrinhos da DC temos a caixa materna pra fazer esta ligação de um ponto a outro do universo.

Voltando, quando estava disputando a batalha de bandas, Scott foi atacado pelo convencido Matthew Patel e descobre que para ficar com Ramona. Terá que enfrentar toda Liga dos Sete Ex-malvados do Mal que são ex-namorados dela que não querem deixar a moça em paz.

Podemos destacar a presença de Chris Evans como o ator Lucas Lee e Brandon Routh como Todd Ingram que possui poderes psíquicos veganos que lembram demais o Azulão.

Eu que não gosto de jogo fiquei fascinado pela estética deste filme, pois Scott Pilgrim Contra o Mundo funciona como uma partida de videogame, pois a vida do herói acontece como se fosse num jogo.

A parte interessante é notar que Scott precisa passar de fase para poder realmente conquistar Ramona, pois a cada luta ele ganha tanto uma vida quanto poderes extras.

Fora isso há cenas de ação maravilhosas nas lutas de Ramona usando Scott contra Roxie Richter. Ou ainda na parte final quando vemos o sinistro e impagável Gideon Graves, pois é ele quem orquestrou tudo.

Sem contar com o rock pesado garantido como som de fundo, as cenas que lembram páginas de quadrinhos, o desenvolvimento da história rápida, frenética, alucinante, contagiante e também engraçada (tudo na medida certa).

Se você ainda não assistiu está perdendo seu tempo, pois Scott Pilgrim é emocionante demonstrando até um final alternativo (que não vou contar pra não perder a graça).

Relembre aqui da terceira parte.

Advertisements

Ober un evezhiadenn

Filed under As Melhores Adaptações de HQ – Parte 4

Musas de Tinta

natalie-portman

Jane Foster

É uma das personagens femininas mais importantes da mitologia de Thor.

Jane Foster foi criada por Jack Kirby e Joe Shinnot surgindo na edição de Journey Into Mistery #84, de 1962 e trabalhava como enfermeira no consultório de Donald Blake, mas devido a convivência acabaram se apaixonando perdidamente.

E numa cópia deslavada do que havia entre Super-Homem, Lois Lane e Clark Kent  tivemos Jane Foster se encantando por Thor já que achava que Don Blake não estava interessado nela.

Então chegou um momento em que o Deus do Trovão revelou sua identidade secreta para ela. E até levou Jane para Asgard como sua noiva, mas apesar de estarem completamente apaixonados (as coisas nunca foram fáceis pros dois).

No Reino Dourado haviam muitos problemas, pois Loki ameaçava Jane vendo-a como um ponto fraco de seu meio-irmão. Encantor morria de ciúmes, porque ter sido deixada de lado por uma simples mortal.

E principalmente Odin que também pelo fato de Jane ser uma mortal não aceitava o relacionamento deles. Odin chegou até a fazer um teste para Jane com a intenção de torna-la uma imortal.  Só que Jane desistiu desta condição querendo ter uma vida normal (e Odin fez a cabeça de Thor para que Jane não ficasse em Asgard).

Então o Deus do Trovão foi convencido pelo pai e terminou com Jane Foster. Odin devolveu-a pra Terra, ainda apagou a memória da moça e também arranjou um novo pretendente para ela.

O Dr. Keith Kincaid, por quem Jane, se apaixonou e casou. Sinceramente Odin foi de uma baixeza vilipendiosa fazendo isso, porque impedir a felicidade do próprio filho não é normal.  Suponho apenas que “possa” ter pensado em ver a moça envelhecer, definhar e morrer (enquanto seu filho seguiria pela eternidade sofrendo sua perda).

Uma coisa interessante é que na série “O que Aconteceria se…?”, tivemos uma história em que no lugar de Donald Blake quem encontra Mjolnir é Jane Foster.

Então após ler a inscrição, ela transforma-se em Thordis, a Deusa do Trovão e resgata Don Blake que estava em perigo. Depois Odin a fez entregar o martelo para Don Blake que se transforma em Thor (enquanto Jane fica em Asgard como deusa e se casa com Odin).

A importância de Jane Foster na vida do herói é resgatar o lado humano. Levantando aspectos da humanidade que possam fazer sentido pra nós leitores (assim podemos nos conectar com suas histórias).

Na franquia cinematográfica mudaram o status quo de Jane Foster para uma astrofísica interpretada pela atriz Natalie Portman, mas seu primeiro papel destaque para nós foi Padmé Amidala, da série Star Wars.

1

Lady Sif

Na mitologia nórdica Sif é normalmente retratada com belos cabelos dourados. Além de ser esposa de Thor, deusa da colheita e da fertilidade (também é uma guerreira com grande habilidade em combate).

A única diferença com a criação da Marvel é que primeiro os cabelos da Sif mitológica eram negros como a noite (e devido a inveja de Loki que cortou tudo deixando-a careca).

Os anões a pedido de Thor fizeram uma nova cabeleira de fios da luz sol, deixando-a loira, e fazendo de uma maneira que criassem raiz na sua cabeça. Ainda na mitologia Sif morrerá durante o Ragnarok, mas não se sabe como.

A heroína da Marvel foi criada por Stan Lee e Jack Kirby surgindo na edição Journey Into Mistery # 102, de 1964. Desta vez retrataram Lady Sif primeiro com os cabelos loiros e depois da travessura de Loki (adotaram o visual que nós conhecemos).

A mudança na cor dos cabelos só fez Thor ficar ainda mais apaixonado por Sif, porém com o passar do tempo eles trilharam caminhos divergentes.

Lady Sif é irmã de Heimdall e desde criança sempre foi apaixonada pelo Deus do Trovão, mas Loki também nutria um sentimento por ela(daí se explica a maldade feita por ele). Quando era jovem Sif foi enviada por seus pais para um mundo místico aonde aprendeu técnicas de combate tornando-se uma das melhores guerreiras do Reino Dourado.

Nas antigas histórias havia um triângulo amoroso entre Sif, Thor e Jane Foster. Isto aconteceu na época em que Thor ficou exilado em Midgard e acabou se apaixonado pela enfermeira Jane Foster (um relacionamento que Odin não aprovava).

Quando Jane Foster deixou Asgard sem demorar muito Odin deu um jeito para que, Sif e Thor, se aproximassem novamente. Só que este reencontro não durou muito, pois Thor era um campeão de Midgard e seu coração estava voltado para defender os mortais (deixando-a em Asgard).

Houve um período em que Ladi Sif tentou viver na Terra para entender melhor, porque seu amado gostava tanto daqui. Ela ajudou diversas vezes nossos heróis e compartilhou sua essência com Jane Foster (quando ela estava quase morrendo).

Depois deste período quando Jane Foster foi resgatada de uma dimensão distante, Lady Sif se separou dela retornando a Asgard. Enquanto Jane voltou pro seu amado Dr. Keith Kincaid.

Na série animada dos Vingadores notei que Lady Sif ficou interessada em Bill Raio Beta, um dos poucos que conseguiu empunhar Mjolnir. E tal fato já havia acontecido nos gibis exatamente como vimos naquele episódio.

Durante um novo Ragnarok tanto Sif quanto vários asgardianos morreram em combate. Só que depois ficamos sabendo que estavam adormecidos em corpos humanos (uma ironia do destino já que alguns desdenhavam de nós meros mortais).

Lady Sif estava escondida no corpo da Sra. Chambers que se encontrava com um câncer em estado terminal.  Thor procurou-a desesperadamente, mas Loki num outro ardil não deixava o herói encontra-la por causa de um encanto.

Mas o deus da trapaça, renascido num corpo de mulher conta a verdade pro seu meio-irmão que salva encontra a Sra. Chambers no último momento antes de morrer (salvando a essência de Lady Sif).

Então a deusa decide viver em Midgard na cidade de Oklahoma, adotando o nome de Sylvan e tornando-se uma residente no mesmo hospital que Donald Blake.

Lady Sif é uma deusa de beleza incomparável, porém não se engane. Ela também é uma das maiores guerreira do Reino Dourado.

Desde cedo tornou-se uma amiga de infância de Thor e por consequência seu primeiro amor durante a vida toda. Ela é uma mulher que na maioria das vezes esconde seus sentimentos, mas mesmo assim quando se entrega é por que acredita no seu coração.

Poucos tem a verdadeira alegria de poder compartilhar tais momentos de entrega ao seu lado, pois na maioria das vezes seu instinto de guerreira a precede.

Na franquia dos filmes de Thor, Lady Sif é interpretada pela atriz Jaimie Alexander.

Confira na galeria abaixo algumas imagens que consegui de Jane Foster, da bela Lady Sif e de algumas outras musas da Marvel

0 1 2 3 5 6 7-what-if 8 MANHATTAN 10.1-Sif-mitologia-nórdica 10-lady sif-by-bruce timm 11 12 13 14 15 16 17-Asgardian_warrior_Sif_by_MARCIOABREU7 18 19 20-arthur adams 21 22_by_marclaming 23 24 25 26 27  29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41-lady_sif_by_rosythorns

esad-ribic (2)

42-lady_sif_by_elazinsu-d50wmko 43 45 firestar-arthur-adams gata negra gwen stacy hela jubileu 1 jubileu 2 lorelei makoto Mandy_Castle__the_punisher_by_tombancroft Serpent_Squad_(Earth-1610) songbird sonja-bruce timm sonja-mike s. miller spiral wallpaper 0 wallpaper 1.1_natalie_portman_jane_foster wallpaper 1-jane foster

wallpaper-lady sif jamie alexander

wallpaper 2 wallpaper 3-stephane-roux wallpaper 4-feiticeira escarlate wallpaper 5 wallpaper 6  wallpaper 8-maria-hill-avengers-cobie-smulders wallpaper-X-23

Ober un evezhiadenn

Filed under Musas de Tinta